Publicado em 19/11/2014

O segredo da disciplina


A disciplina é uma poderosa ferramenta que pode e deve ser usada em todos os campos de sua trajetória pessoal e profissional. Sem ela seus resultados serão pífios. Mas isso envolve três etapas: Consciência, decisão e ação

A maioria das pessoas é muito mais facilmente distraída. Boa parte delas é ainda mais extrema na sua vontade de pôr de lado seus planos de trabalho para fazer praticamente qualquer outra coisa.

No ambiente empresarial, há muito mais a ser feito do que apenas aparecer na hora e estar pronto para trabalhar. O cumprimento de prazos e compromissos por si só leva uma pessoa a se destacar da multidão como uma nave espacial alienígena estacionada em um milharal. A capacidade de fazer as coisas do jeito certo irá magneticamente atrair contatos incríveis, oportunidades e recursos para você. Porém, tudo isso é uma questão de autodisciplina.


Em minhas palestras, costumo dizer que só uma pequena porcentagem de pessoas vive, de fato, a vida de seus sonhos, porque falta a disciplina. E isso é comprovado em estudos e pesquisas: 90% das pessoas que compram livros leem apenas o primeiro capítulo; 3% da população brasileira é independente financeiramente; só 35% dos homens se sente em boa forma física e um em cada dois casamentos termina em divórcio.

E quando trazemos todos esses números para o lado profissional, podemos chegar à conclusão de que concluir os objetivos de maior importância - inclusive considerando um empreendedor altamente produtivo e que trabalha a maior parte do seu tempo - raramente é fácil, mas, muitas vezes, é simples. Na verdade, pode se resumir em três etapas.

Consciência. Se você se tornar ciente da importância do tempo, você vai ter um conceito diferente dele, valorizando-o e exercendo o controle sobre o uso e consumo do seu tempo por outras pessoas, a fim de ter uma chance razoável de alcançar seus objetivos e tocar o seu pleno potencial. Você vai ter uma nova consciência de como o seu tempo é usado ou abusado, investido ou desperdiçado, organizado e controlado ou deixado fluir aleatoriamente.

Decisão. Toda conquista segue uma decisão deliberada, com raríssimas exceções de realização acidental, como tropeçar em um cadarço desamarrado e cair de bruços na calçada, vendo uma pilha de notas de 100 reais perdida no chão. Muito improvável, não é? Na ausência desse tipo de acidente, a realização só pode seguir a decisão. Como resultado de seu pensamento sobre a importância do tempo, você pode desenvolver certas decisões.

Ação. Quando você toma uma decisão, você tem que começar a fazer coisas sobre ela. Para algumas pessoas, isso é difícil, mas para muitas delas, em muitas situações, é relativamente fácil. A pessoa que decide sobre uma nova dieta pode achar que é fácil, mesmo emocionante tendo que esvaziar a geladeira e a despensa de todos os alimentos não saudáveis. Acompanhar a progressão é geralmente a parte mais difícil. Você tem que criar um ambiente no qual a autodisciplina é suportada, mas necessária e recompensada.

A autodisciplina destinada e aplicada a uma determinada coisa é literalmente um poder mágico. Quando você concentra a sua autodisciplina em um único propósito, como a luz solar através de uma lupa em um único objeto, cuidado! O mundo inteiro vai lutar para sair do seu caminho.


Por Paul Friedericks.

Fonte: http://www.administradores.com.br/