Publicado em 30/06/2014

9 dicas para valorizar seu passe no mercado


Entender as expectativas e as necessidades das empresas é fundamental


Você trabalha arduamente, mas ainda não alcançou nem o cargo e nem a remuneração que sonha e que acredita merecer. Se for esse o caso, possivelmente você não esteja sabendo como valorizar o seu passe no mercado de trabalho. Fazer isso nem sempre é simples e depende muito de você entender as expectativas e as necessidades das empresas e alinhar tudo isso às suas expectativas e necessidades profissionais. Quer ver como? Confira as dicas de Luana Maluf, diretora da Asap Recruiters, empresa de recrutamento para cargos de gerência.

1 – Estruture seu plano de carreira. Esse é o primeiro passo que todo profissional precisa dar se quer de fato ver sua carreira evoluir e seu passe se valorizar.  Traçar um plano de carreira é fundamental para você direcionar suas ações com base nos seus objetivos de médio e longo prazo. Do contrário, você corre o risco, por exemplo, de fazer vários cursos e obter diversas certificações que não vão impulsionar em nada a sua trajetória. “Cursos e certificações devem complementar sua expertise”, diz Luana. “Um MBA, por exemplo, pode não ser tão assertivo caso não esteja alinhado com a expectativa do mercado.”

2 – Fale inglês fluentemente. Esse é o ponto inicial para valorizar seu passe no mercado. “Hoje em dia, o domínio do idioma inglês é básico em qualquer setor e posição do mercado, tanto em empresas multinacionais quanto em nacionais”, diz Luana.

3 – Invista em um MBA, se for o caso. Se o mercado exige um curso desse tipo para profissionais que ocupam o lugar que você quer ocupar, você precisa, sim, ir atrás disso. A dica, então, é procurar um curso que esteja alinhado à sua área de atuação. Além disso, claro, é importante que a instituição de ensino tenha credibilidade. “Universidades de ponta têm preferência no mercado”, alerta ela.

4 – Experiência vale ouro. Segundo Luana, a experiência profissional é mais importante que a formação acadêmica, especialmente para aqueles que não estão no início da carreira. “As empresas entendem que o profissional que acumulou mais bagagem tem maior assertividade e, por isso, maior valor de mercado”, explica. Por isso, é importante que você saiba fazer uma leitura de sua carreira para apresentar suas maiores e mais relevantes características e conquistas. “Muitas pessoas ainda não sabem resumir de maneira positiva sua trajetória e perdem pontos com isso.”

5 – Networking é indispensável. Você pode até não gostar de fazer contatos e manter relacionamentos profissionalmente, mas vai precisar se dedicar a essa tarefa se quiser de fato ser mais valorizado no mercado. As pessoas que você conhece e que acreditam no seu potencial são aquelas que normalmente podem indicá-lo para os cargos e as empresas em que você sonha trabalhar.

6 – Antenas ligadas. Muitos profissionais não evoluem na carreira simplesmente porque não têm o costume de acompanhar as tendências do mercado. “Falta a eles uma visão macro do seu próprio segmento”, diz Luana. A recomendação é ficar antenado sobre as demandas em alta, investimentos em determinados setores, regiões mais aquecidas etc.

7 – Acertando o foco nas redes sociais. Sim, as redes sociais são importantes, mas não são decisivas em processos seletivos. “É importante que você tenha e saiba administrar seus perfis, mas com o intuito de acompanhamento de mercado e visando o networking.” Sim, novamente ele: o indispensável networking.

8 – Óbvio e fundamental. Por mais que pareça simples e óbvio, nem todos os profissionais sabem formatar de maneira adequada seu currículo. Um escorregão aqui ou ali e pronto – ele pode ser deixado de lado em processos seletivos. “É importante que você saiba ser claro e objetivo, destacando principalmente os projetos realizados e os resultados obtidos em experiências passadas”, afirma Luana.

9 – Auto-avaliação. Se você decidiu seguir esses passos e quer, claro, saber como está evoluindo, uma boa forma de fazer isso é analisar como você está sendo visto dentro da empresa. Seus superiores têm planos de carreira voltados a reter o seu talento? Seu perfil está alinhado com a política da empresa? “Outro ponto importante é buscar saber se seu nome é tido como referência dentro do setor em que atua porque isso demonstra que seu trabalho é visto como exemplar no mercado.”


Por: Fernanda Bottoni

Fonte: vagas.com.br